sexta-feira, 21 de abril de 2017

O que dão as reflexões...

Sou a mais velha de 4 filhos ( a unica menina)
Sempre fiz tudo o que podia nas coisas de casa, e sempre tomei conta dos meus irmãos (ajudava nos trabalhos, brincavamos, faziamos tudo em conjunto). 
Entrei na universidade aos 18 acabadinhos de fazer, passados 3 meses comecei a trabalhar e até hoje... felizmente foi sempre "a sério". 
Fiz o percurso académico a trabalhar, o que me deu muita estaleca, iniciei logo na minha área profissional, o que fez com que aos 27 anos já estivesse a assumir a direcção financeira de uma empresa multinacional.
Sempre me esforcei muito, sempre estudei (ainda hoje sou assim, e com muito orgulho). 
Ao fim de 11 anos de namoro, decidimos casar, 6 meses depois fizemos encomenda para o primeiro rebento, estamos casados há 9 anos, temos um filhote de 7 anos e uma filhota de quase 4.

Isto tudo para chegar onde???
Que há momentos, no meio da agitação, na correria do dia a dia, no meio da exigência e responsabilidade da profissão, que no meio da família a que pertencemos, que no meio da familia que construímos, dos amigos, da participação nas escolas dos filhotes, e tudo o que todos nós sabemos... há momentos (poucos mas há) em que nos esquecemos de nós... que nós existimos, e somos pessoas que além de toda esta responsabilidade e exigência, também temos prazeres e que por vezes minimizamos, ou deixamos para depois...

Adoro ler
Adoro fazer desporto
Adoro meditar
Adoro conversar (mas...uma boa conversa, o que cada vez é mais raro encontrar) as futilidades, o constante interesse na vida alheia, a queixa, a posição de vitima, a superioridade, a mentira, a falsidade, o andar meio mundo a tentar "lixar" o outro, as redes sociais, a falta de nexo, a falta de auto-estima, a falta de princípios básicos, a falta de respeito, a necessidade de se mostrarem e de se exibirem... nada disto me diz rigorosamente nada e tudo isto me faz sentir cada vez mais "desintegrada" no entanto, cada vez mais segura do que eu sou e do que eu quero continuar a ser e a certeza de que estou no bom caminho!
Adoro abraços
Adoro olhar nos olhos das pessoas (o que incomoda bastante... eu sei) 
Adoro dançar
Adoro rir à gargalhada
Adoro sentir que melhorei o dia de alguem
Adoro meter conversa
Adoro observar (a ver as pessoas a andar de um lado para o outro, ter a consciencia que cada uma dessas pessoas tem uma historia, uma vida, um trabalho uma familia... ainda no outro dia iamos na viagem para o Piodão e perguntei aos filhotes se estavam a ver quantos aviões estavam a passar por cima de nós. Eram 3.. e pensar que em cada aviõzinho daqueles, iam mais de 100 pessoas... de que paises? que linguas falam, do que gostam, são felizes..tem familia, o que os move??)
Adoro estar sozinha

e quando dei conta que apesar de fazer um esforço enorme para manter todos estes prazeres no meu dia a dia, eu estava ESTAFADA e... pela primeira vez desde que me lembro de ser gente... eu tirei umas ferias para mim!

Os miudos regressaram á escola na quarta, e eu só regresso ao trabalho dia 26.
Ao inicio parece muito. Mas depois... a verdade é que passa a correr. geri tudo muito bem... consegui tratar de imensas coisinhas pendentes, mas o melhor de tudo é que o dia de hoje e o de segunda feira são meus, só meus!

E não é que me está a saber maravilha?
Ontem resolvi reler um livro que já tinha comprado em 2009 ou 2010 e continua sempre atual. e que faz tanto sentido neste momento.


Foi maravilhoso voltar a fazer o teste do nivel de felicidade, e comparar as minhas respostas naquela altura com as respostas atuais, são só motivo de orgulho! O quão bem eu tenho feito a mim mesma, e ao mesmo tempo, aos que me rodeiam.

E pronto... hoje excedi-me, mas a verdade é que apenas pensava fazer um post a comentar o livro que estava a ler... mas o livro fez-me viajar...fez-me refletir, e a reflexão levou-me a fazer um resumo muito resumido de um pouco de mim... e a verdade é que neste momento aqui estou eu, de coração cheio, alma leve, sorriso no rosto e um intenso sentimento de gratidão. Muita gratidão!

Alex


5 comentários:

  1. Aqui diz que o meu comentário foi publicado, que comentário?! Ainda não tinha escrito nada quiçá foi mesmo sem nada no corpo de texto.
    Bem, perdi-me depois disto...
    Ah, encontrei-me...
    Já dizer que com motivação perseverança e dedicação tudo se faz. Por vezes falta um destes para que a pessoa se sinta realizada
    Kis :=}

    ResponderEliminar
  2. Também retomei este ano o prazer da leitura e está a ser óptimo!

    ResponderEliminar
  3. Muito honestamente, acho que devíamos tirar um dia só para nós com regularidade, porque também precisamos de nos mimar e de nos ocupar connosco. Claro que no meio de tantas responsabilidades nem sempre é fácil consegui-lo, mas devíamos tentar, pelo menos

    ResponderEliminar
  4. Alexandra eu aprendi a ter tempo só para mim, sem me sentir culpada, há algum tempo. É essencial para o meu equilíbrio.

    ResponderEliminar
  5. Fizeste muito bem em tirar esse tempo só para ti. Aliás, devíamos fazer isso mais vezes. Quanto ao que disseste sobre "conversar", fez-me tão bem ler. Fez-me sentir que não sou um bicho raro, pois traduziste em palavras exactamente o que sinto. Aliás, estou a afastar-me de algumas pessoas, por falta de paciência mesmo. Estou farta de queixumes e futilidades, sinto que cada vez menos é possível ter conversas construtivas. E não quero desperdiçar o meu precioso tempo em situações do género. Por isso é tão bom vir aqui, sinto que temos personalidades semelhantes, é como sentir-me em casa.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Sobre "Viajar"

Eu devo andar a ficar mesmo muito chata e sem interesse para os meus colegas (ahahahah) No regresso de ferias: - Então então, essas f...